Animação representa crianças vitimas da usina de Fukushima (tão real que partirá seu coração)

Abita: sobre as crianças de Fukushima

Shoko Hara, uma animadora japonesa de 25 anos residente na Alemanha, fez essa animação bela e triste sobre a realidade e os sonhos das crianças de Fukushima, região japonesa atingida pelo Tsunami em 2011, onde há uma usina nuclear que foi danificada, no maior acidente atômico depois de Hiroshima e Nagasaki. As crianças são proibidas de saírem às ruas e passear por conta da radiação.

Desde 2011 os moradores da província de Fukushima vêm sofrendo com as consequências do desastre na usina de energia nuclear Fukushima I. Há relatos de preconceito contra os residentes dessa região quando estes vão a outras localidades do país, ou mesmo internamente, os habitantes ainda não sabem como lidar com as informações oficiais e o medo de um desastre maior. Um ano após o acidente, as crianças da região assumiram a primeira posição no ranking de obesidade infantil no Japão, fruto da tensão emocional e da proibição de saírem de casa, pelo medo de serem contaminadas. 40% das crianças testadas pelo governo japonês acusaram alteração na tireoide, apontando para o risco de desenvolvimento de câncer.

A japonesa de Yokohama, Shoko Hara, graduada na Alemanha em animação e ilustração, criou essa linda representação poética da perspectiva das crianças que vem sofrendo com as consequências do acidente, impossibilitadas de se desenvolverem normalmente ou mesmo de ir às ruas, viver uma vida normal. A ilustradora fez o curta em parceria com o videomaker Paul Brenner.

Por Adriano Dias
Fonte mais do que indicada: Semema
(conheça mais vídeos e animações desse site. A revista Semema é uma parceira CONTi outra)

Você achou esse conteúdo relevante?

Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS