Amor não é uma questão de persistência, mas sim de consistência.

Entenda: a sua insistência não irá fazer com que o outro mude de ideia, não irá fazer com que brote sentimentos do outro por você. Mas o que estou querendo falar nesse texto é sobre o amor em um relacionamento já construído.

Pode ser que você veja muitos defeitinhos no outro e queira mudá-lo a todo custo e aí vêm as cobranças, na tentativa de fazer com que o outro enxergue aquilo que tanto o incomoda. Aqui, quero lhes apresentar um conceito novo que mexeu muito comigo depois de assistir a um vídeo sobre isso: a palavra da vez é “consistência”, o que me lembrou, em um primeiro momento, pudim, mousse e todas essas sobremesas gostosas (risos). Mas, para que essas receitas possam de fato dar certo e ficar bem saborosas, é preciso que elas fiquem CONSISTENTES. O que isso lembra?

Isso me fez pensar no relacionamento e em como os namoros e casamentos dos dias de hoje têm se tornado cada vez mais inconsistentes. As pessoas desistem na primeira dificuldade e, no primeiro defeito, já mandam o outro embora, porque não suportam a realidade, querem continuar vivendo um “amor” fantasia onde tudo dá sempre certo. Pessoas que não toleram decepções e que acham que o outro é perfeito, quando ele mesmo é imperfeito.

O que quero dizer é que, em um relacionamento, o amor não é questão de insistência, cobranças, mas sim de consistência. Não notamos o quanto emprestar nossos ouvidos para escutar como foi o dia cansado do outro faz bem, como acolher a dor de uma decepção no trabalho, mesmo que isso pareça tão insignificante para nós, é importante para o outro.

Não vemos, por um descuido qualquer, que preparar um jantar é um ato de amor, que comer um bombom na rua e se lembrar de trazer um para o seu parceiro é um gesto de carinho. Amamos o outro pelas pequenas coisas, pois são as pequenas atitudes que nos devolvem a certeza de que o outro nos ama e nos quer bem. Depois de certo tempo, as coisas perdem o seu status de “novidade” em um relacionamento e, então, como reacender? Como manter a consistência?

Você não precisa mandar flores no trabalho, comprar um presente caro ou levar o outro para jantar em um restaurante que custa milhões – risos. O reacender está nas pequenas coisas do dia a dia, desde o ouvir, até o cuidar do outro, quando ele não está bem de saúde. É ligar no meio do dia pra saber se melhorou da tosse e mostrar o quanto se importa com esse alguém. A consistência está no cuidado e no respeito, que podem ser demonstrados em atitudes mínimas que esboçam um carinho imenso e fazem toda a diferença para esse alguém.

Particularmente meu coração sorri quando vejo um bilhete no meio dos meus livros, quando o outro foi ao supermercado e lembrou-se de comprar o meu chocolate favorito. Eu me sinto amada quando o outro escolhe me ouvir, mesmo não entendendo nada do que estou falando, ou quando estou doente e, mesmo isso parecendo “não ser nada demais”, o outro decide cuidar de mim.

O amor está nos pequenos detalhes, são pequenos gestos que fazem com que a gente sinta que o amor não acabou e que você não deixou de ser interessante, mesmo a novidade tendo passado, mesmo que os jantares tenham se tornado raros e os presentes ficado para datas muito especiais. São esses pequenos ingredientes simples que mantêm a consistência de um relacionamento que, ao invés de ser líquido, torna-se cada vez mais sólido.

Imagem de capa: Anetlanda/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Thamilly Rozendo
Estudante de psicologia, apaixonada por artes, música e poesia. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito requeijão, mesmo sendo intolerante a lactose. Tem pavor de borboletas, principalmente as no estômago.

COMENTÁRIOS