Amor é uma coisa. Estar acompanhado é outra.

Fotos em redes sociais, declarações de amor em público e pedido de casamento em Paris. Tudo para expor um amor não sentido, camuflar um relacionamento fracassado e esconder uma carência constante.

Sabe, relacionamentos não são contratos vitalícios, casamentos não são sociedades e estar acompanhado não significa estar amando. As pessoas estão tão acostumadas a fingir, que está ficando impossível distinguir entre o amor real e o amor vivido. Chegamos a um ponto que quanto mais exposto é o amor, menos vivido ele é.

Sabe, nenhum filtro do Instragram, disfarça agressão. Nenhum texto de Caio Fernando Abreu, esconde infidelidade. Nenhuma indireta no Twitter, apaga a ofensa da noite anterior. Então, por você, pare de viver de aparências e comece a viver de verdade.

A verdade é que a perdemos o conceito do verdadeiro amor e aceitamos qualquer relacionamento para suprir nossas carências. Esperamos que as relações sejam perfeitas e, como não conseguimos, idealizamos as relações na esperança de sermos felizes.

Das duas uma: ou esquecemos o que é, realmente, amar ou nunca soubemos. Rubem Alves dizia que “amor é estado de graça e com amor não se paga. Nada mais falso do que o ditado popular que afirma que “amor com amor se paga”. O amor não é regido pela lógica das trocas comerciais. Nada te devo. Nada me deves. Como a rosa que floresce porque floresce, eu te amo porque te amo”.

Estar só não significa abandono, da mesma forma que estar acompanhado não garante companhia. Muitas vezes, estamos fisicamente perto de quem está com o coração em outra alma. Outras, somos nós que não amamos, mas permanecemos ali. Calados, ausentes e frios. Como se não percebêssemos que o medo da solidão só nos aproxima dela.

Mário Quintana, em toda a sua intensidade diante da vida, dizia que “com o tempo não vamos ficando sozinhos apenas pelos que se foram: vamos ficando sozinhos uns dos outros”.

Quando o relacionamento se resume em olhares longínquos, pensamentos vagos e uma sensação de “tanto faz”, está na hora de terminá-lo. Indiferente das desculpas que te fizeram permanecer nessa história, está na hora de entender que há uma grande diferença entre “estarem juntos” de “estarem no mesmo lugar”.

Imagem de capa:Por Photographee.eu/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Pamela Camocardi

A literatura vista por vários ângulos e apresentada de forma bem diferente.


COMENTÁRIOS