A vida nos mostra quem sim e quem nunca!

Não conseguiremos reabastecer nossas energias, caso estejamos sendo usados por alguém que não entende que a vida é dar e receber, ir e vir, troca, reciprocidade. É preciso estabelecer morada junto às pessoas que saberão compartilhar, distribuir e receber amor e tudo o mais que vem junto nesse encontro de vidas, de corpos, de almas.

Muitos passam pelas nossas vidas, mudando-a de alguma forma, às vezes de maneira positiva, outras vezes nos decepcionando. Será inevitável termos que lidar com as mais variadas formas de encontros que pontuarão nossa jornada, bem como com as despedidas e rupturas, sendo a nossa postura frente a isso tudo essencial, para que permaneçamos firme no propósito de alcançar a felicidade. É preciso saber dizer sim, não e nunca!

Diga sim às pessoas que se mostrarem como são, que transpirarem o ar da transparência e da verdade. Quanto mais fortemente estivermos sintonizados com tudo o que é claro e original, mais chances teremos de evitar caminhos tortuosos de dor e desesperança. A qualidade de nossa vida em muito dependerá das companhias que trouxermos para junto de nossos jardins.

Diga não àquelas pessoas que se valem da tristeza para permanecerem em pé, que são incapazes de ser e de ver alguém feliz e que estão sempre prontas a espalhar escuridão. Não poderemos nos contagiar pelo mau-humor, pela infelicidade e pela maldade de quem fica ali ao lado emanando energia negativa. Nossa determinação em sorrir deverá ser o escudo contra quem não oferece nada além de maldade e lamentação.

Diga nunca a quem não retorna coisa alguma, quem só enxerga no outro aquilo que ele possa vir a oferecer, quem só pensa em si mesmo e trata as pessoas como objetos descartáveis. Não conseguiremos reabastecer nossas energias, caso estejamos sendo usados por alguém que não entende que a vida é dar e receber, ir e vir, troca, reciprocidade.

Diga não a quem quiser permanecer ao seu lado pela metade, sem inteireza, olhando para você de tempos em tempos, somente quando não há nada mais interessante a fazer. Ninguém merece amar intensamente alguém que ama de volta sem doação integral, alguém que apressa os passos para sair ali do lado, alguém que coloca tudo menos o parceiro na lista de prioridades.

Diga nunca a quem não transmite certeza, segurança e verdade, a quem mantém os olhos distantes e intransponíveis, a quem não desnuda sua essência, quem não se posiciona com afetividade. O mundo já se encontra por demais robótico e frio, para termos que conviver com gente que não se importa, não se sensibiliza, não se emociona nem emociona ninguém. Quem não se abre não será capaz de entender e de valorizar as ofertas alheias.

Diga sim às pessoas que transbordam sentimentos, que se dignam a entender o outro, acolhendo-o com tolerância e sinceridade, colocando-se no lugar de quem sofre, de quem chora, de quem se sente diminuto. É preciso que consigamos estabelecer morada junto às pessoas que saberão compartilhar, distribuir e receber amor e tudo o mais que vem junto nesse encontro de vidas, de corpos, de almas.

Bom seria conseguirmos saber de início quais intenções guarda cada uma das pessoas que cruzam os nossos caminhos, para que nem precisássemos nos decepcionar dolorosamente com gente que machuca e fere. Como isso é impossível, será necessário nos livrarmos o quanto antes daqueles que aparecem para escurecer, bem como nos cercarmos daqueles que realmente vêm com intensidade, que procuram e ofertam, que ficam com tudo, ao longo das tempestades e das bonanças, de mãos dadas, com os olhos voltados aos nossos. Isso é amor pra vida toda.

COMPARTILHE
Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.



COMENTÁRIOS