A importância da magia natalina para as crianças pequenas

 

E dezembro já chegou, talvez rápido demais para as agendas dos adultos, entretanto aos olhos infantis pode ter demorado a eternidade.

Nas ruas, dezenas de papais noéis, luzes piscando, presépios, árvores enfeitadas, bolas e os mais diversos enfeites de natal, aos olhos da criança está chegando o grande momento: o Papai Noel virá visita-la.

Muitas vezes passamos por todos esses adornos natalinos e não nos contagiamos, afinal estamos preocupados em cumprir a agenda, comparecer ás festas de confraternizações da empresa, dos amigos, comprar os presentes do amigo oculto e da família. Afinal, o natal também é mais um compromisso social, familiar e religioso.

Proponho que nos coloquemos no lugar das crianças e que por alguns instantes, enxerguemos o natal com os olhos infantis!

Qual o significado de tantos brilhos, enfeites e luzes nessa época do ano?

Para boa parte dos pequenos, as semanas que antecedem a visita do bom velhinho são mágicas. Eles esperam o Papai Noel enfeitando a casa, montando árvores de natal, fazendo pedidos, ouvindo músicas e histórias de natal.

As Luzes e qualquer papai noel que se encontra na rua, enche de brilho os olhinhos das crianças e são facilmente tocadas pelo clima de natal.

A criança precisa de fantasia para formar o seu mundo real, ou seja, é através da imaginação que a criança consegue desenvolver seu intelecto e tornar claras suas emoções e consequentemente se preparar para o mundo adulto.

Aos olhos da criança, o Papai Noel é um velhinho de barbas brancas, que usa um veículo voador puxado por renas, percorre o mundo inteiro e entra nas casas através das chaminés, mesmo que a casa não tenha chaminé,  para entregar presentes para as crianças. E tudo isso acontece em uma única noite, na véspera de Natal.

Esse bom velhinho, no imaginário infantil, é aquele ser bondoso, que conhece cada criança e suas necessidades, traz o presente desejado para os que foram bons, traz a alegria e a recompensa de ter cumprido seus deveres durante o ano.

Essa fantasia enriquece nossas crianças, no imaginário delas, compreendem a importância da bondade, da caridade, de se tornar um ser humano melhor e se importar com o próximo.

Assim sendo, é nosso dever estimular a imaginação dos nossos filhos nos primeiros anos de vida para que eles possam entender suas emoções e entender seu papel na sociedade e tornar-se um ser humano que possa fazer a diferença nesse mundo.

Portanto, sugiro á nós pais, que a partir de agora, olhemos o natal e seu significado com um olhar mais delicado. Não importando a religião, os rituais de cada família.

Para a criança, não importa o valor ou o número de presentes que o Papai Noel trará na véspera do natal, mas é fundamental vivenciar os preparativos que antecedem a visita do bom velhinho.

Desejo que tenhamos um olhar mais infantil e cheio de magia a ponto de esquecermos o valor dos presentes que daremos aos nossos filhos e nos importemos mais em enriquecer o mundo deles com história, músicas, luzes e o verdadeiro espirito de natal.

Certamente se a criança vivenciar o natal de forma rica e intensa,  mesmo quando já não mais acreditar em papai noel, cada dezembro irá emociona-la, pois recordará dos rituais, emoções e vivências proporcionadas pelos pais nessas semanas mágicas antes do natal.

Desejo que tenhamos capacidade de tornar especiais os próximos dias para que nossos filhos internalizem o verdadeiro sentido do natal e que se emocionem em todos os dezembros do resto de suas vidas.

COMPARTILHE
Elisangela Siqueira
Psicóloga com especialização em Psiquiatria e Psicologia da Infância e da Adolescência e em Psicoterapia Psicanalítica Breve. Mais de 10 anos de experiência. Atendimentos presenciais e online.



COMENTÁRIOS