A hora do divórcio

Uma nova campanha publicitária apostou na seguinte ideia: um comercial de TV afirma que uma determinada marca resolveu apoiar mulheres em um momento importante de suas vidas. As imagens inicialmente sugeriam que este momento fosse o casamento delas. Porém, novas cenas e áudio vêm com a surpresa e afirma: o divórcio delas!

Sensacional.

Enquanto muitas campanhas, marcas, filmes, novelas e tanto mais continuam evidenciando o momento do casamento, finalmente veio uma e inovou.

Nada contra o casamento. É sim um momento de amor, paixão e marcante na vida das pessoas. Mas para se casar não é necessário muito mais do que um sonho e um pouco de bons sentimentos. Financia-se a festa, escolhe-se o vestido, o buffet, os padrinhos e pronto. É um momento de felicidade, pensamentos positivos e somente de boas expectativas.

Já para se divorciar é preciso coragem. É preciso garra para aceitar o fracasso do sonho. Certamente é um momento na vida, o qual já se vivenciou momentos extremos de tristeza e decepção, para que se decida enfim por um novo caminho.

O divórcio, principalmente para as mulheres, vem a ser um momento de incerteza financeira, dúvidas e receios sobre o futuro, filhos e solidão. Uma enxurrada de pensamentos negativos que assombram um caminho incerto.

Eu mesma quando me divorciei me senti sem rumo. Faltou apoio, faltou emprego e faltou dinheiro. Só não faltou a vontade de viver uma vida diferente da que eu estava vivenciando, ainda que tivesse de enfrentar um período ruim.

A propaganda de televisão mostrou mulheres sendo entrevistadas sobre o fim de seus casamentos e elas apareciam abatidas. Em seguida elas foram embelezadas pela marca, através de roupas, cabelos e maquiagens. Elas se sentem bonitas e mais fortes para o momento da assinatura do divórcio.

Encenações à parte, a campanha colocou em evidência muita verdade deste momento na vida de tantas de nós. Enquanto somos mais jovens e com menos conhecimento sobre a vida e suas duras decepções, temos a inocência que nos leva com facilidade ao altar. Além da beleza da juventude e uma vida inteira pela frente.

Já o divórcio costuma ocorrer mais tarde, quando já temos noção das dificuldades da vida, da criação dos filhos e do se sentir sozinha. E agora com menos anos pela frente e mais rugas ao redor dos olhos.

Vivemos numa sociedade que supervaloriza a instituição do casamento e tenta a manter a todo custo, mesmo que isto signifique viver de aparências e ilusões. Poucos, tanto homens e mulheres, têm a força necessária para dar um basta quando o sonho já se transformou em pesadelo. E quando uso esta palavra, não me refiro apenas à casos extremos como violência doméstica ou falta de respeito, mas à vida monótona, sem amor e sem expectativa, que milhares de pessoas passam a viver por não ter a tal da coragem.

O divórcio, à primeira vista, pode não ser um momento bonito, cheio de expectativas, sonhos e alegrias. Mas é um ponto de recomeço, transformação e lutas, contra todas as incertezas que ele pode representar. É uma experiência que nos faz fortes e maduros, nos tornando ainda melhores do que antes.

Um instante, que aparentemente pode ser de fracasso, pode levar você a um dos melhores momentos de sua vida: uma nova pessoa em você mesmo (a)!

COMPARTILHE
Carolina Vila Nova é brasileira. Tem cidadania alemã, 40 anos. Escritora e Roteirista. É autora dos seguintes livros: “Minha vida na Alemanha” (Autobiografia), “A dor de Joana” (Romance), “Carolina nua” (Crônicas), “Carolina nua outra vez” (Crônicas), “Vamos vida, me surpreenda!” (Crônicas), “As várias mortes de Amanda” (Romance), “O dia em que os gatos andaram de avião” (Infantil), “O milagre da vida” (Crônicas) e "O beijo que dei em meu pai" (Crônicas). "Nosso Alzheimer." (Romance), Disponíveis na Amazon.com e Amazon.com.br



COMENTÁRIOS