Voce sabe o que as outras pessoas estão sentindo?

“Poderia um grande milagre acontecer para que nós olhássemos através dos olhos dos outros, por um instante.” Henry David Thoreau

E se um milagre acontecesse e pudéssemos sentir o que as outras pessoas sentem, como seria?

Dentro das pessoas passam coisas que você não vê, sentimentos que você não sente. Cada um é formado por histórias, que podem conter lutas, partidas, desencontros, amores não vividos, doenças, mortes, perdas. Histórias nem sempre são bonitas, a vida nem sempre é alegria.

Colocar-se no lugar do outro é nos livrarmos de todas as verdades, princípios e valores que temos. É colocar-se no lugar do outro com a mente nua. Por um instante sentir tudo que ele sente, suas dores, seus valores, sua vida. É um processo doloroso, pois se o outro sente dor, sentirei dor. Se sente tristeza, sentirei tristeza. Sentiremos os sentimentos bons e ruins.

Assim saímos da inercia, apatia e frieza, passamos a um estágio de mais sensibilidade. Este estágio nem sempre é prazeroso, pois começamos a perceber que as pessoas sofrem mais do que imaginávamos. Mas, através disso, chegamos a uma compreensão mais profunda da humanidade.

“Empatia” surgiu da palavra grega empátheia, que significa “entrar no sentimento”. Para alcançarmos este estágio é necessário deixar de lado nossos próprios pontos de vista e valores para podermos entrar no mundo do outro sem julgamentos. A empatia é essencial nos relacionamentos, pois você começará a ouvir com a intenção de entender e não de argumentar.

A essência de escutar com empatia não é concordar, mas entender profundamente o que o outro quer dizer e principalmente, o que está sentindo. Em todo relacionamento, seja amoroso, de trabalho, familiar ou entre amigos a empatia é uma forma de minimizar conflitos e expandir a compreensão.

“Se, por um instante, você pudesse estar no lugar dos outros, ouvir o que eles ouvem, ver o que eles veem, sentir o que eles sentem, você os trataria diferente?”

Pense nisso, a empatia é um ato de amor!

COMPARTILHE
Tirza Balmant
Tirza é psicóloga e acredita que fazer terapia não é um ato de fraqueza, nem loucura, mas uma demonstração de coragem, lucidez, força e determinação para mudar o que te impede de ser feliz"



COMENTÁRIOS