7 Maneiras infalíveis de detestar o seu trabalho

Eu tinha um emprego com o qual muita gente sonhava. Bom salário, viagens ao exterior e outras vantagens. Tinha que usar terno e gravata e, por causa disso, quando eu saia para almoçar ou passava na padaria na volta para casa, era superbem tratado. Eu adorava e detestava esse tratamento especial.  Adorava porque, ora bolas, quem não gosta de ser bem atendido? Detestava porque sabia que, se não estivesse de gravata, o atendimento seria diferente. Achava aquilo pura hipocrisia.

Com o tempo, aquele trabalho foi ficando sem graça. Logo me dei conta de que, sendo otimista, usava menos da metade de meu potencial. Meus diplomas de engenharia e mestrado eram desperdiçados no meio da burocracia e algumas decisões superiores, digamos, contestáveis . Em pouco tempo percebi que a gravata era uma formalidade desnecessária. Passei a chegar de manhã com o nó já solto e a manga da camisa dobrada. Deixava um paletó já meio surrado no escritório para usar em alguma eventualidade que quase nunca ocorria. Se alguém notou tanto descaso, eu não sei, provavelmente sim. Ninguém nunca reclamou. Fazia o que tinha que fazer bem feito e rapidamente. Acho que isso ajudava…

Claro, o problema era mais meu do que do meu emprego, mas eu esperava mais. Olhando em volta, percebi que, se quisesse um trabalho que me satisfizesse, teria que criá-lo. Muito raramente os talentos de alguém se enquadram perfeitamente num emprego.  Refletindo sobre esse processo de mudança de vida, e com a humilde tentativa de fazer com que outras pessoas também façam essa reflexão e busquem alternativas mais satisfatórias para suas vidas, decidi listar 7 formas infalíveis de odiar o seu trabalho. Apesar da ironia, imagino que pelo menos uma das formas esteja presente na sua vida. Descubra em qual você se encaixa.

1) Trabalhe pelo dinheiro ou pelo status

Segundo dizem os mais velhos, é uma receita infalível para viver deprimido. Não sou tão velho mas já percebi que eles têm razão. Você já sabe que dinheiro não compra felicidade, mas, pelo menos, poderá comprar um bom sofá de couro e uma televisão de 90 polegadas para passar o pouco tempo do dia que lhe sobra para viver.  Uma dica: ao contrário do que dizem por aí, o dinheiro ganho com trabalhos mais satisfatórios também servem para comprar comida e pagar as contas. Antes que digam coisas do tipo: “nem sempre dá pra escolher”, eu rebato: encontrar um trabalho que lhe traga realização demanda um pouco de determinação e paciência, mas é possível.

2) Siga uma carreira pelos outros e não por você

Só porque seu pai é advogado isso não faz com que você tenha talento ou gosto pela profissão. Seu familiar se sentirá realizado, orgulhoso… e você, nem tanto. Pare e se pergunte: Vale mesmo a pena viver os sonhos de outra pessoa? Se você quer odiar seu trabalho, vale a pena sim. O que ocorre é que, ao optar por uma carreira assim, você ignora um leque enorme de opções. Possivelmente, entre tais opções estaria algo que se enquadra melhor com seus talentos.

3) Pareça sempre muito ocupado

A maioria dos empregos dá mais importância ao cumprimento de carga horaria do que à eficiência no trabalho. Não interessa se você já cumpriu com seus afazeres, se quiser causar boa impressão, faça muitas horas-bestas (é como uma amiga chama hora-extra. Bem apropriado!). É também uma receita para jogar fora nosso maior patrimônio: tempo. Se você realmente está muito ocupado, provavelmente não percebeu que existem formas mais eficientes de fazer o que você já faz. Se quiser combater isso, sugiro ler um livro tipo “Essencialismo” (de Greg Mckeown), ou “Trabalhe 4 Horas por Semana (Timothy Ferriss). Você mudará sua perspectiva sobre a vida e sobre seu trabalho. Depois de lê-los, se conseguir não pedir demissão, provavelmente será promovido.

4) Desperdice seu potencial

Você estudou, fez faculdade, pós-graduação, leu livros, escreveu teses… Se preparou como um louco para ter um excelente emprego… Mas faz um trabalho mecânico, chato ou que não requer nenhum talento especial.  Se quiser acelerar o processo, mantenha uma atitude passiva diante disso tudo. Não fale com seu chefe a respeito. Não proponha algo inovador e que possa fazer bem a você e à sua empresa.  Não se preocupe. Logo, logo, vai odiar seu trabalho.

5) Desperdice seu tempo

Se você faz seu trabalho em 3 horas, desperdice as outras 5. Embora o Facebook possa lhe manter entretido, isso vai lhe deixar chateado. Mais cedo ou mais tarde, você vai detestar seu trabalho (ou pelo menos deveria).

6) Trabalhe com outras pessoas que odeiam seu próprio trabalho

Lembra das aulas de biologia? Funciona por “osmose”: do meio mais concentrado para o meio menos concentrado. É contagioso. Sabe aquelas pessoas que se queixam de tudo e de todos. Todo ambiente de trabalho tem um. Encontre mais uns dois ou três desses e faça um grupinho. É “batata”. Rapidamente, você também vai aprender a odiar seu trabalho e andar se lamentando. Se tiver sorte, vai atrair mais e mais gente para seu grupo. Em pouco tempo ele será insuportável!

7) Não conheça a si mesmo

Essa é a forma mais sutil. Só para alunos avançados. Nós passamos nossa juventude sendo educados por um sistema que ensina tudo sobre tudo e nada sobre nós mesmos. O primeiro passo para encontrar o trabalho dos sonhos é conhecer a si mesmo. Logo, a forma de odiar seu trabalho é fazendo o contrário. É bem possível que você passe anos, décadas, sem saber o que gosta de fazer, desconhecendo completamente seus talentos. Receita infalível para odiar qualquer emprego. Mas calma que existem antídotos. Despenda alguma energia mergulhando em si mesmo. Use ferramentas grátis como o “Guia prático para Encontrar o Seu Propósito de Vida“.

Vale a pena fazer algum esforço se você não quer levar uma vida sem sentido, num trabalho detestável, esperando desesperadamente a hora de se aposentar.

E você? Conhece mais alguma forma de odiar seu trabalho? Escreva nos comentários abaixo.

Na página do site VidAdvisor você encontra tudo o que precisa para mudar de vida. Conheça também o Vida Borbulhante e saiba como tudo começou!

COMPARTILHE
Bruno Maciel
Bruno largou tudo, foi morar no Uruguai como a Melissa e o Martin, e criou o Blog Vida Borbulhante. Quer ter uma vida mais plena e interessante? Passe lá para conhecer. Curta o Blog no Facebook.



COMENTÁRIOS