5 atitudes fundamentais para quem quer mudar de vida

Um dos grandes benefícios de se ter um blog sobre mudança de vida é poder conhecer muita gente e, principalmente, conhecer suas histórias. Sempre respondo com muita gratidão às pessoas que, em um voto de confiança, nos escrevem contando um pouco o que estão vivendo, onde gostariam de chegar e, pedindo algum tipo de orientação.  Não pense que seja fácil responder a esses e-mails. Ao mesmo tempo em que quero falar em alto e bom som “Vai lá, se jogue, arrisque!”, preciso trazer à tona as dificuldades envolvidas em uma mudança, sem ser negativa demais. Afinal, mudar é algo sensacional, sim, e vale muito a pena. Mas, não é para todo mundo.

E como saber se realmente você irá “suportar” uma mudança de vida? Como saber se você tem a perseverança suficiente, a força suficiente, a clareza suficiente? Essa é a parte ruim, não dá muito para saber com antecedência. Algumas dessas respostas surgem somente com a vivência.  É preciso vivenciar uma mudança de vida para, aí sim, poder tirar algumas conclusões sobre você, suas características, suas dificuldades.  Mas, isso não impede de refletir bastante e analisar seus pontos fortes e fracos antes de fazer qualquer movimento rumo a uma mudança. Assim, é possível preparar-se ou fazer planos mais condizentes com suas próprias possibilidades.

Na tentativa de fazer com que as pessoas consigam decifrar-se antes de se jogar em uma mudança de vida muito ousada, enumerei cinco atitudes fundamentais que fazem a diferença no momento de enfrentar as dificuldades:

  1. Saber sonhar sem se iludir: Existem sempre aquelas pessoas que, por estarem com dificuldades, descontentes ou infelizes, começam a sonhar com uma vida melhor. Mudar de país, de emprego, de cidade, até de relacionamento, é um sonho para muitos. Até aí, tudo bem. O problema é quando esse sonho toma uma dimensão de ilusão afastando-se significativamente da realidade. É preciso ter sempre presente que não vai ser fácil, que vão existir dificuldades. Com o tempo, a nova realidade, o novo relacionamento também vão ter suas dificuldades, suas chatices, suas “monotonices”. Cabe a você conseguir sonhar com realismo! 😉
  2. Saber abraçar seus fracassos: Ninguém gosta de fracassar, muito menos de que esse fracasso seja divulgado a todos. Queremos ter sucesso em nossas empreitadas, ser motivo de orgulho. Em uma mudança de vida, impreterivelmente sua trajetória será plena de pequenos fracassos até você poder declarar ter tido sucesso. É fundamental compreender que os fracassos fazem parte do processo de crescimento e que os fracassos te auxiliam a ir traçando o caminho. Abraçar seus fracassos significa aceita-los e de alguma forma valorizá-los.
  3. Ter confiança em si: pode ser algo fácil de falar, algumas pessoas podem até se auto intitular “confiantes” porque têm sucesso em um trabalho, ou porque têm dinheiro, etc. Mas, a “confiança em si” não diz respeito ao que o mundo exterior fala sobre você. A confiança tem a ver com você acreditar em seus potenciais, sem precisar receber o feedback externo para se auto afirmar. Você, em um momento de mudança de vida, mais do que nunca precisará acreditar em sua capacidade de superação, em sua força e competência. E acima de tudo, você precisará ter confiança em si para espantar o medo do fracasso e seguir adiante.
  4. Compreender que cada coisa tem seu tempo: Ok, este é uma atitude fundamental. Esperar que em pouco tempo sua vida já esteja organizada, estabelecida, funcionando…esperar adaptar-se a uma nova realidade com rapidez é um tiro no pé. Se você vai fazer uma mudança de vida com outras pessoas, com familiares, é preciso ter claro que cada pessoa irá responder diferente e terá suas próprias dificuldades. É preciso dar tempo para que as fases de transição e a adaptação sejam vivenciadas com realismos, serenidade e, eu diria sensibilidade. Tenha em mente de que a adaptação pode demorar meses.
  5. Parar de insistir e começar a persistir: Quando insistimos, repetimos atitudes esperando que o resultado seja diferente. Mantemo-nos imutáveis aguardando uma mudança do entorno. Quando persistimos, aprendemos com os nossos erros, buscamos conhecimento e tentamos novamente, mas de um jeito diferente. Vamos transformando-nos à medida que as respostas da vida vão chegando. Adaptamo-nos à realidade e buscamos novos caminhos para o que queremos. Precisamos ser flexíveis e saber que quem decidiu mudar precisa ser maleável ao novo entorno que escolheu e aos acontecimentos que virão.

Mudar de vida é revigorante, refrescante…vai lá, é MUITO bom! Você se sente vivo! É como se você estivesse no comando, no controle de sua própria vida…nada de viver no piloto automático. Passar pelas dificuldades de uma mudança de vida vale muito a pena, pois você adquire uma resiliência e uma confiança insuperáveis.  Conseguir “sobreviver” e viver fora da sua zona de conforto gera um sentimento muito agradável de bem estar. Você adquire a capacidade de perder o medo diante das dificuldades e sente que não importa o que aconteça, você terá sempre a capacidade de se reinventar. Os processos de descoberta, de superação, a perda do medo, valem qualquer esforço! Eu garanto!

Quer inspiração para mudar de vida? Conheça o Vida Borbulhante.

COMPARTILHE
Melissa Sendic
Engenheira, mãe e lutadora inveterada por uma vida mais plena e com mais sentido. Co-criadora do Vida Borbulhante. Largou tudo, deu um salto no vazio e foi morar no Uruguai com o Bruno e o Martin. Ela busca incentivar as pessoas a viverem uma vida com mais propósito.



COMENTÁRIOS